quarta-feira, 7 de maio de 2014

Somewhere Over The Rainbow / What a Wonderful world - Como se fosse a primeira vez


Gente, para tudo! Que filme fofo e lindo é esse? Eu particularmente já vi trocentas vezes e nunca me cansei!

"Como se fosse a primeira vez" (50 First Dates) é uma comédia romântica de 2004, dirigida por Peter Segal e com roteiro de George Wing. Conta a história da jovem Lucy (interpretada por Drew Barrymore) que perdeu parte da memória em um acidente de carro, então vive cada dia como se fosse um novo. No caso, suas lembranças vão até o momento anterior ao da batida. Sua vida se entrelaça com a de Henry (Adam Sandler), um veterinário conquistador. O nascimento do romance gera boas risadas ao espectador, que se diverte não só com as trapalhadas do casal, como também dos bichinhos marítimos que são cuidados por Henry.

O filme termina com essa combinação de canções "Somewhere Over The Rainbow" e "What a Wonderful world", cantada pelo havaiano Israel Kamakawiwo'ole com o acompanhamento do instrumento ukulele (fotinho dos dois ao lado).

 Infelizmente, o cantor morreu em 1997 (portanto, bem antes do filme ser produzido) de problemas respiratórios, causados por sua obesidade mórbida. Como vocês podem ver (e ouvir), o ritmo é muito gostoso e nos transporta para uma atmosfera tranquila e feliz. Confesso que é uma das minhas músicas favoritas!

Vídeo e letra abaixo!




Ooooo oooooo oooooo
Somewhere over the rainbow
Way up high
And the dreams that you dreamed of
Once in a lullaby
Somewhere over the rainbow
Blue birds fly
And the dreams that you dreamed of
Dreams really do come true ooh ooooh
Someday I'll wish upon a star
Wake up where the clouds are far behind me
Where trouble melts like lemon drops
High above the chimney tops that's where you'll find me oh
Somewhere over the rainbow bluebirds fly
And the dream that you dare to, why, oh why can't I?
Well I see trees of green and
Red roses too,
I'll watch them bloom for me and you
And I think to myself
What a wonderful world
Well I see skies of blue and I see clouds of white
And the brightness of day
I like the dark and I think to myself
What a wonderful world
The colors of the rainbow so pretty in the sky
Are also on the faces of people passing by
I see friends shaking hands
Saying, "How do you do?"
They're really saying, I... I love you
I hear babies cry and I watch them grow,
They'll learn much more
Than we'll know
And I think to myself
What a wonderful world
Someday I'll wish upon a star,
Wake up where the clouds are far behind me
Where trouble melts like lemon drops
High above the chimney top that's where you'll find me
Oh, Somewhere over the rainbow way up high
And the dream that you dare to, why, oh why can't I?
Ooooo oooooo oooooo

segunda-feira, 5 de maio de 2014

The Phantom of the Opera - O Fantasma da Ópera

Estar há mais de 25 anos em cartaz na Brodway não é para qualquer um!

Produção original de 1986, o musical O Fantasma da Ópera (The Phantom of the Opera) tem a música feita por Andrew Lloyd Webber e as letras por Charles Hart e Richard Stilgoe. A peça conta a história de um triângulo amoroso entre o Fantasma, Christine e Raoul.

Explicando um pouco mais, mas sem contar detalhes (vai ver o filme!): o fantasma do título na verdade é um homem de carne e osso que assombra um antigo teatro, onde trabalham Christine Daaé (como corista e bailarina) e Raoul de Chagny (como sócio).

A história é muito bonita e traz vários aspectos dramáticos. Vale tanto conhecer o livro (do francês Gaston Leroux) quanto as várias versões feitas para o cinema. Claro que se você tiver a oportunidade de ir ao musical também vale muito a pena, afinal se escuta a orquestra e os atores ao vivo!

A última versão para o cinema foi lançada em 2004, com a direção de Joel Schumacher, e Gerard Butler no papel do Fantasma. Fechando o triângulo, atuaram Emmy Rossum como Christine e Patrick Wilson como Raoul. Este filme concorreu a três Oscars: melhor direção de arte, melhor fotografia e melhor canção original (Learn to be lonely). Também concorreu ao Globo de Ouro nas categorias: melhor filme musical/comédia, melhor canção original (Learn to be lonely) e melhor atuação de atriz de cinema musical/comédia.

Na minha opinião, esta é uma das músicas mais imponentes que existe. O ritmo e a batida dela no início da música arrepiam qualquer um!

E vocês? Gostam dela?

Abaixo o vídeo com a cena do filme e logo depois a letra!




(Christine)
In sleep he sang to me, in dreams he came,
That voice which calls to me,
And speaks my name.
And do I dream again? For now I find
The Phantom of the Opera is here
Inside my mind.
(Phantom)
Sing once again with me our strange duet;
My power over you grows stronger yet.
And though you turn from me to glance behind,
The Phantom of the Opera is there
Inside your mind.
(Christine)
Those who have seen your face
Draw back in fear.
I am the mask you wear,
(Phantom)
It's me they hear.
(Christine & Phantom)
Your spirit and my voice in one combined;
The Phantom of the Opera is (Christine)here (Phantom)there
Inside (Christine)my (Phantom)your mind.
[Voices:]
He's there the Phantom of the Opera.
Beware the phantom of the opera.
(Phantom)
In all your fantasies, you always knew
That man and mystery
(Christine)
Were both in you.
(Christine & Phantom)
And in this labyrinth where night is blind,
The Phantom of the opera is (Christine)here (Phantom)there
Inside (Christine)my (Phantom)your mind.
(Phantom)
Sing, my angel...
Sing, my angel of music!
(Christine)
He's there,the Phantom of the Opera
(Vocalização)
(Phantom)
Sing, to me!




segunda-feira, 5 de novembro de 2012

I will folow Him - Mudança de Hábito

Vinte anos depois de sua estreia, as músicas de Mudança de Hábito (Sister Act, 1992) ainda permanecem em nossas mentes! Afinal, quem não se divertiu com Deloris Van Cartier (Whoopi Goldberg) e as freiras cantando afinadíssimas no coral?

O filme conta a história da cantora de rock Deloris, que após ser testemunha de um assassinato, precisa de proteção para não morrer também. Assim, torna-se a "freira" Mary Clarence, abrigada num convento em São Francisco. No entanto, Deloris tem dificuldades em se habituar a nova vida religiosa e daí desenrola a comédia.

O longa, dirigido por Emile Ardolino, é ótimo para ser assistido numa tardinha chuvosa embaixo do cobertor! E, atenção, aqui vai um desafio: quem não mexer nenhum dedinho enquanto o coral canta se pronuncie!!! Eu até hoje nunca consegui ficar parada! Acho essa música, I will follow Him, em especial, cheia de gingado! Foi escrita por Norman Gimbel, Arthur Altman, Jacques Plante, J. W. Stole e Del Roma.

Se você curte as outras músicas da trilha de Mudança de Hábito, fique atento aqui no blog, que já já terão postagens delas também!

Enquanto isso, aperte o play e acompanhe o vídeo com a letra logo abaixo!



I will follow Him
Follow Him wherever He may go,
And near Him, I always will be

For nothing can keep me away,
He is my destiny.


I will follow Him,
Ever since He touched my heart I knew,
There isn't an ocean too deep,
A mountain so high it can keep,
Keep me away, away from His love.

I love Him, I love Him, I love Him,
And where He goes,
I'll follow, I'll follow, I'll follow
He'll always be my true love, my true love, my true love
From now until forever, forever, forever

I will follow Him,

Follow Him wherever He may go,
There isn't an ocean too deep,

A mountain so high it can keep,
Keep me away, away from His love...

We will follow him,
Follow him wherever He may go,

There isn't an ocean too deep,
A mountain so high it can keep,
Keep us away, away from His love...

I love Him (Oh yes I love Him)
I'll follow (I'm gonna follow)
True love (He'll always be my true, true love)
Forever (Now until forever)
I love Him, I love him, I love Him,

And where He goes,
I'll follow, I'll follow, I'll follow
He'll always be my true love,
My true love, my true love,
From now until forever,
Forever, forever.


There isn't an ocean too deep,
A mountain so high it can keep,
Keep me away, away from His love.



segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Unchained Melody - Ghost, do outro lado da vida

Sinceramente, não importa quantas vezes eu veja este filme, em todas vou chorar! Com uma história lindíssima de como o amor é poderoso, o longa traz ainda cenas de suspense, ação e comédia, além da trilha sonora, que é linda! Pode-se dizer que é um filme completo, não?

Ghost - Do outro lado da vida (Ghost, 1990) é uma produção norte-americana que conta a história do casal prematuramente separado Sam (Patrick Swayze) e Molly (Demi Moore). Isso porque, a partir de uma armação de seu "melhor amigo", Sam morreu em uma tentativa de assalto, e deixou Molly desolada. O filme se desenrola quando o espírito de Sam tenta entender tudo o que lhe aconteceu e conhece Oda Mae (Whoppi Goldberg), que diz realizar a comunicação entre vivos e mortos.

A canção Unchained Melody tem tamanha importância no filme, que pode se dizer que é praticamente uma personagem. No longa, é apresentada de duas formas: com letra e só com orquestra. Coloquei aqui no blog a cantada, pois acho linda! A música é bem antiga, de 1955, e foi composta por Alex North e Hy Zaret. Desde então, ganhou várias versões, sendo a mais famosa a de The Righteous Brothers, de 1965. É esta a utilizada em Ghost.

Creditada a The Righteous Brothers, a música é cantada somente pela voz de Bobby Hatfied - que mais tarde gravou outras versões somente com seu nome nos créditos. A versão de 1965 foi produzida por Phil Spector.

Veja o vídeo e logo abaixo a letra!




Oh my love, my darling
I've hungered for your touch
A long lonely time
Tome goes by so slowly
and time can do so much
Are you still mine?
I need your love
I need your love
God speed your love to me

Lonely rivers flow to the sea
To the sea
To the open arms of the sea yeah
Lonely rivers sigh "Wait for me"
Wait for me
I'll be coming home
Wait for me

Oh my love, my darling
I've hungered,
Hungered for your touch
A long lonely time
And time goes by so slowly
And time can do so much
Are you still mine
I need your love, I,
I need your love
God speed your love to me


quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Guerra nas Estrelas - Star Wars


O que dizer da trilha sonora que está em PRIMEIRO lugar na lista do AFI (American Film Institute) sobre as melhoras trilhas dos últimos 100 anos???

Pois é, Star Wars realmente é sensacional, não só os filmes, elenco, roteiro, efeitos especiais, ..., como também a música! Sim, quem não conhece a música de abertura ou a do maior vilão de todos os tempos (também conhecido com Darth Vader)? Acho que até quem não é tão fã dos filmes gosta da trilha. O que acham?

A soundtrack foi criada por um conhecido aqui do blog, o grande John Williams. Compositor, maestro e pianista, o americano é o criador de grandes sucessos no meio musical. Ele é o compositor, por exemplo, de Jurassic Park, Super Man, ET - o extraterrestre, A Lista de Schindler, Indiana Jones, Tubarão e Harry Potter. Alguns destes já têm posts aqui no blog. Williams é demais, não é?

Com relação a Star Wars, o tema principal surge no início de todos os seis filmes da série. Muito associada ao personagem Luke Skywalker, invoca as sensações de aventura, fantasia e heroísmo.

Já a música representante do lado negro da força, "Imperial March", é imponente e parece realmente anunciar que o mal está chegando. Ela dá um arrepio na espinha quando toca, não dá?

Há outras faixas de sucesso no filme, porém acredito que as duas mais significativas sejam essas. Escutem e vejam se concordam com o prêmio atribuído a trilha pelo AFI. Eu acho mais que merecido!

Star Wars - Tema principal


Imperial March

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Your Song - Moulin Rouge



Se é de romance que vocês gostam, romance é o que vão ter!

Em homenagem ao resultado da enquete feita aqui no blog sobre qual o gênero de filmes favoritos do pessoal, escolhi esta música que AMO. Your Song compõe a trilha de um filme que já tem dez anos, mas ainda não foi esquecido. Este é o musical Moulin Rouge, que envolveu espectadores do mundo inteiro com uma linda história de amor. Este filme é de tudo um pouco, se pararmos para pensar. Tem comédia, ficção, drama, romance e muitas, muitas músicas!

Esta é a segunda música do Moulin Rouge que colocamos aqui no blog. A primeira foi Come What May (confira aqui!).

O filme foi dirigido por Baz Luhrmann, e foi o primeiro longa musical a ser indicado ao Oscar de Melhor filme após 23 anos! Realmente, quem não viu tem que colocar na listinha para 2012!

A música de hoje é Your Song, composta por Elton John (música) e Bernie Taupin (letra). No filme quem canta é o Ewan McGregor mesmo! Pessoalmente, acho que ele canta muito bem, e você?

No entanto, há diferença na letra da original para a cantada no filme. No verso "How wonderful life is...", enquanto a original completa com "while you're in the world", no filme se canta "now you're in the world".

Mudanças à parte, a música continua linda!


segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Psicose (Psycho)


Estamos de volta com uma trilha de 1960. Apesar de antiga, garanto que mexe com o imaginário de muita gente até hoje. Isso se deve ao grande sucesso que o filme americano Psicose (Psycho) teve, se tornando sem dúvidas um clássico do terror e suspense. Com direção de Alfred Hitchcock, o filme se baseia no livro homônimo de Robert Bloch, publicado em 1959.

Psicose é um filme tão marcante que ganhou a enquete do jornal britânico The Guardian de cena mais lembrada do cinema. De acordo com a publicação, o assassinato no chuveiro liderou a pesquisa. Uma curiosidade: a cena tem 45 segundos e demorou sete (!) dias para ser gravada. Isso mostra o cuidado que Hitchcock tinha em suas gravações. Não à toa, muitos consideram este filme a obra-mestra do diretor.

A trilha sonora é de Bernard Herrmann, compositor conhecido por trabalhar com Hitchcock. Como o orçamento não permitia muito, Herrmann compôs a trilha utilizando apenas uma orquestra de cordas, ao invés de uma completa. Pois é, quem é bom consegue criar uma trilha majestosa mesmo com pouca verba, não é mesmo?

Herrmann é uma figura bastante interessante e com um trabalho vastíssimo. Mesmo após mais de trinta anos de sua morte (em 1975), seu legado não saiu da cabeça dos amantes da música e do cinema. O reconhecimento disso está no ranking que o Instituto Americano de Cinema (American Film Institute, AFI) fez sobre as melhores trilhas sonoras. Na pesquisa, Psycho ficou em 4º lugar! A primeira posição ficou com Star Wars, de John Willians.